Estar o tempo inteiro conectado é uma prática rotineira na vida da maioria das pessoas nos dia de hoje. Só vamos dormir depois de uma última checada no celular, dormimos com o celular na cabeceira da cama, e acordamos prontamente checando as primeiras notificações.

Apesar de comum, a prática de estar constantemente conectado pode desencadear problemas, como aumento do nível de estresse, ansiedade e até depressão (já falamos disso aqui, no d/propósito).

Agora… imagine, nos dias de hoje, um dia inteiro sem notificações. Sem a necessidade de checar a responder mensagens imediatamente.

Longe de interrupções e sentimentos como a ansiedade causados por aplicativos e o celular vibrando a todo o momento. O que você faria com todo o tempo livre que te sobraria?

Imaginou? Pois saiba que estamos falando de um cenário real, possibilitado pela prática do Jomo, filosofia que ajuda a encontrar tempo para apreciar momentos em que possa se fazer presente de maneira mais intensa. 

O que significa Jomo – Joy of Missing Out

O termo surgiu pela primeira vez no livro “The Joy of Missing Out: Finding Balance in a Wired World“, da escritora Christina Crook. Jomo, acrônimo de Joy Of Missing Out, que significa algo como “alegria em ficar por fora”. 

Na prática, não significa se excluir completamente do mundo virtual, mas sim selecionar os quando – e como – ficar na internet. 

Pequenas atitudes já contam, como, por exemplo, colocar o celular no silencioso e não mexer quando estiver em uma conversa. Estar de corpo, mente e alma em suas atividades do dia a dia.

Fomo x Jomo

O Jomo é o oposto do Fomo (Fear of Missing Out) que, segundo o dicionário da Oxford, pode ser traduzido como “ansiedade gerada pela possibilidade de algo interessante estar acontecendo em outros lugares, muitas vezes gerada em redes sociais”.

Em outras palavras, o Fomo representa o sentimento de ansiedade para saber tudo o que acontece o tempo todo no mundo digital. Aquela sensação de “será que estou perdendo algo?” quando passamos muito tempo fora das redes sociais.

Em contrapartida, o Jomo vai no caminho contrário, estimulando as pessoas a se desconectarem, para que possam se dedicar mais intensamente ao momento presente e o mundo offline. 

Os impactos negativos das redes sociais e da vida 100% conectada

Segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, o Brasil conta hoje com 230 milhões de celulares ativos. Computadores, notebooks e tablets somam 180 milhões.

O número chama a atenção, e nos dá o alerta quando pensamos que o uso excessivo das redes sociais pode aumentar os níveis de ansiedade, depressão e gerar sentimentos constantes de comparação, incompetência, insatisfação e competição social.

Isso porque, quando estamos excessivamente conectados, não só deixamos de olhar para o momento presente, como tendemos a nos comparar com a vida do próximo, projetada através de postagens e fotos “perfeitas”. 

Esquecemos do que há além disso, e ficamos reféns da necessidade de exposição da nossa vida e rotina a todo momento, no desejo oculto de sermos constantemente aceitos e reconhecidos pelas outras pessoas. 

E, quando isso não acontece – quando uma postagem não tem o alcance esperado, por exemplo – fica o sentimento negativo de incapacidade e ansiedade. 

Não é a toa que o Instagram foi considerado, segundo uma pesquisa no Reino Unido, a rede social mais prejudicial à saúde mental e, em função disso, optou por esconder o número de curtidas nas fotos. Segundo o app, a decisão foi feita para “aliviar a pressão” que as pessoas sentem ao postar uma imagem. 

Reconecte: Detox Digital

Toda essa reflexão chamou a atenção, também, do governo brasileiro. Em julho deste ano, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos criou o Reconecte – e, dentro dele, o programa “detox digital”.

A iniciativa tem como objetivo alertar a população sobre o uso excessivo da tecnologia, e propõe um desafio: ficar 24h sem tecnologia, realizando atividades em família, exercícios físicos, leituras, práticas esportivas, passeios, entre outros.

Excesso de conectividade e os impactos na carreira

Os malefícios de estar 100% conectado, de forma excessiva e sem limites que você mesmo impõe, vão além dos impactos pessoais: pode, facilmente, afetar também o campo profissional.

Quem nunca checou os e-mails corporativos, “rapidinho”, durante o período de descanso, inclusive nas férias? Ou então recebeu (ou enviou) mensagens do chefe e equipe aos fins de semana e fora do expediente?

Em uma pesquisa do LinkedIn realizada em 2018, 70% dos entrevistados admitiram que não se desligam do emprego nem durante as férias.  

O que pode, em um primeiro momento, demonstrar proatividade e dedicação às atividades de trabalho, pode trazer consequências bem negativas, como estresse, ansiedade, e queda de produtividade, criatividade e capacidade de inovação.

Dicas para incorporar o Jomo em sua rotina

Embora o “estar conectado” faça parte de 24 horas de nossos dias, 7 dias por semana, e isso hoje seja tão comum que é difícil enxergamos a linha de limite, é inegável os benefícios sentidos quando tiramos alguns momentos offline.

Seja desligar o celular para ler um livro, brincar com os filhos ou pets, passear pelo bairro ou fazer uma viagem, ou mesmo curtir um momento sozinho… é quando realmente lembramos o quanto a vida – em poucos detalhes – é boa de verdade.

Por isso, que tal desconectar um pouco?

O primeiro passo é entender o quanto do seu tempo está dedicado à internet – e o quanto isso é realmente necessário. O segundo passo, é refletir sobre quais apps e notificações lhe causam ansiedade e sentimentos vindos do “Fomo”. 

Nós preparamos alguns passos para te ajudar com isso:

  • Avalie o tempo que gasta na internet

Consulte o consumo de dados do seu celular para saber quais apps mais acessa e reduza o tempo gasto nos que estiverem no topo da lista.

  • Insira em sua rotina atividades que lhe dê prazer

Coloque em sua rotina momentos prazerosos, como esporte, leitura e passeios. Importante: quando estiver nessas atividades, fique longe das redes sociais! Se dedique inteiramente em aproveitar o momento presente.

  • Sem medo de estar offline  

Tudo bem checar suas notificações, e-mails, mensagens no Facebook e Instagram. Mas combine consigo mesmo o momento certo de fazer isso.

Quando estiver com os amigos ou família, deixe o celular de lado. Silencie as notificações quando estiver trabalhando ou concentrado, ou mesmo se preparando para dormir. Se quiser ir além, se desafie a ficar um fim de semana inteiro sem se conectar à internet – e aproveite o tempo que sobra!

  • Exemplo no meio corporativo

Evite incomodar sua equipe e colegas de trabalho com assuntos profissionais fora do expediente. Da mesma forma, organize seu tempo para que você possa aproveitar as folgas para realmente descansar – os e-mails podem esperar até segunda-feira!

  • Aproveite sua própria companhia

Estar offline pode ser uma excelente oportunidade para o autoconhecimento. Aproveite o silêncio e os momentos a sós – medite, faça yoga e tente se conhecer melhor.

Independentemente de definições técnicas, Jomo – Joy of Missing Out significa se desligar do mundo digital quando você quiser, e se sentir bem com isso.

Sem medos e ansiedades, sabendo que o melhor lugar é o presente. Pronto para experimentar?

Deixe um comentário

Skip to content