A catástrofe ambiental que o Nordeste brasileiro está vivendo parece estar longe de chegar ao fim. Apesar da marinha ter informado que foram recolhidas cerca de 900 toneladas de resíduos de óleo cru nas praias do Nordeste, o petróleo atingiu pelo menos 282 localidades em 97 municípios de 9 estados, desde o final de agosto.

O resultado de tudo isso são incalculáveis prejuízos ao turismo e, sobretudo, aos pequenos comerciantes que dependem unicamente da praia para obterem sustento.

Diante da morosidade das autoridades no sentido de agir rapidamente para amenizar os danos desse desastre, centenas de pessoas estão trabalhando na limpeza das praias de forma independente, muitas vezes sem qualquer tipo de proteção adequada. A situação é preocupante, pois envolve o alto risco de intoxicação com o petróleo, que possui componentes nocivos à saúde.

Como podemos ajudar?

Destacamos aqui o trabalho de dois grupos que estão movendo esforços no sentido de reduzir os danos do derramamento de óleo. Um deles é o Salve Maracaípe, que tem mobilizado voluntários e também trabalha na arrecadação de fundos para o por meio de uma campanha de financiamento coletivo. Os fundos arrecadados serão utilizados para a compra de EPIs e o custeamento dos transportes. Você pode doar clicando aqui.

Já o Guardiões do Litoral, que nasceu de um grupo de amigos no Whatsapp e atualmente conta com mais de 200 pessoas também está se desdobrando para tentar limpar as praias, recifes e estuários que continuam sendo atingidos e impactados pelo óleo, destacando que o trabalho manual voluntário é essencial. Você pode doar clicando aqui.

Atenção para quem mora nas regiões atingidas

Para quem mora nas regiões atingidas, vale a leitura dessa matéria especial do Greenpeace, principalmente para saber o que fazer no caso de encontrar animais cobertos de óleo na praia, saiba mais clicando aqui.

Enquanto isso, seguimos acompanhando as notícias, agindo e esperançosos por dias melhores.


Deixe um comentário

Skip to content