Você já parou para pensar o tamanho do consumo de plástico no seu dia a dia e nem percebe?

Ele está por todas as partes, no copo do cafezinho que você toma no escritório, na sacolinha dos lixos da sua casa, na garrafa de água, nas embalagens de alimentos e produtos de limpeza e por aí vai.

Segundo o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) a crise mundial de poluição por plástico só vai piorar a não ser que todos os atores da cadeia de valor dos plásticos se responsabilizem pelo custo real do material para a natureza e para a sociedade.

Para reforçar a urgência de um acordo global para conter a poluição por plásticos, o WWF realizou o estudo “Solucionar a Poluição Plástica: Transparência e Responsabilização”, divulgado em março deste ano, o qual ressaltou que mais de 104 milhões de toneladas de plástico irão poluir nossos ecossistemas até 2030 se nenhuma mudança acontecer na nossa relação com o material.

Dados do Banco Mundial mostram que o Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico no mundo, com 11,3 milhões de toneladas. Desse total, mais de 10,3 milhões de toneladas foram coletadas (91%), mas apenas 145 mil toneladas (1,28%) são efetivamente recicladas.

Consumo de plástico

Segundo o estudo, o plástico não é inerentemente nocivo. É uma invenção criada pelo homem que gerou benefícios significativos para a sociedade.

Infelizmente, a maneira com a qual indústrias e governos lidaram com o plástico e a maneira com a qual a sociedade o converteu em uma conveniência descartável de uso único transformou esta inovação em um desastre ambiental mundial.

Aproximadamente metade de todos os produtos plásticos que poluem o mundo hoje foram criados após 2000.

Este problema tem apenas algumas décadas e, ainda assim, 75% de todo o plástico já produzido já foi descartado.

Impactos do consumo de plástico excessivo para o meio ambiente e para a nossa saúde

Além de afetar a qualidade do ar, do solo e dos sistemas de fornecimento de água, a queima ou incineração do plástico pode liberar na atmosfera gases tóxicos, alógenos e dióxido de nitrogênio e de enxofre, os quais são totalmente prejudiciais à saúde humana.

Fora a ingestão do material por meio do consumo de alimentos contaminados com micro e nanoplásticos, de acordo com o estudo da WWF.

E todos nós podemos contribuir para mudar esse cenário.

Como reduzir o consumo de plástico?

Pequenos passos levam a grandes mudanças e nada como o exemplo para atingirmos o maior número de pessoas. Que tal a repensar o consumo do plástico na sua rotina. Confira as dicas no nosso infográfico e compartilhe!

Consumo de plástico: Infográfico

Deixe um comentário

Skip to content