Aprenda como desacelerar, respirar fundo e encarar a vida de forma mais leve e calma com algumas dicas simples e eficazes

Se você já se pegou assustado com a velocidade em que as coisas estão acontecendo e com esse ritmo frenético ao qual estamos conduzindo a nossa vida, pode ter a certeza de que você não é a única pessoa que está observando tudo isso com certa estranheza.

Aliás, só o fato de fazer essa reflexão já demonstra um ponto extremamente positivo: você tem condições de fazer escolhas mais conscientes sobre como quer viver daqui pra frente. 

A grande verdade é que o mundo está viciado na aceleração e, muito provavelmente, muita gente não está se dando conta disso.

Queremos respostas rápidas, quase que instantâneas.

Trabalhamos rápido, falamos rápido, comemos rápido, andamos mais rápido ainda.

E, ao final de mais um dia, adivinhe! Somos acometidos por aquela sensação de que não fizemos nada ou de que talvez daria para ter feito mais.

E essa sensação de que não produzimos o suficiente seja resultado de termos feito muitas coisas, mas sempre conectados com o que vem a seguir, ausentes do momento presente.

Escrevemos um relatório pensando na reunião que vai começar em duas horas.

Participamos da reunião respondendo a um e-mail, assistimos a uma palestra enquanto planejamos mentalmente o dia seguinte.

Um descompasso que insistimos em chamar de produtividade, capaz de nos trazer duas sensações distintas: a primeira é de satisfação, por sermos multitarefa.

A segunda não tão eufórica assim: um cansaço mental traduzido pela frustração de compreender que por mais velozes que sejamos, não dá pra fazer tudo.

Aprender como desacelerar é uma utopia?

Não é preciso jogar seu smartphone pela janela ou então largar a carreira para desacelerar.

Acredito que é mais sobre como utilizamos o tempo do que qualquer outra coisa, impondo certos limites extremamente necessários para o bem de nossa saúde física e mental.

Cera vez, Oprah Winfrey disse uma frase que eu gosto muito: “A maior aventura que você pode realizar é viver a vida de seus sonhos. Como não concordar com isso?

E como fazer dessa aventura uma realidade? Só cabe a nós, e não existe uma receita de bolo para alcançar esse objetivo.

Sinceramente, eu recomendaria a inserção de alguma atividade que lhe proporciona prazer, todos os dias.

Qualquer atividade que seja exclusivamente para você.

E claro, nem preciso dizer que trabalhar não entra nessa conta, certo?

Seu celular: um vilão silencioso

Recentemente, ouvindo um podcast da Obivious, a jornalista Rosana Herman fez uma consideração que me fez (quase) cair da cadeira:

‘’Nossos smartphones são como cassinos sem janelas e lá estamos nós puxando a alavanca. Os feeds intermináveis das redes sociais são do tamanho do nosso vazio’’.

como desacelerar

Nesse ponto, acho importante destacar que eu também estou trabalhando nisso entre as minhas formas de como desacelerar: utilizar menos o celular.

Vale lembrar que o considero uma ferramenta maravilhosa, indispensável e útil, que nos ajuda muito a resolver problemas e otimizar o tempo.

Mas tudo isso tem um preço.

E talvez estejamos pagando um preço alto demais.

O tempo que você economiza quando envia uma mensagem para alguém enquanto almoça ou então coloca um endereço no aplicativo de mapas pode estar sendo perdido ali mesmo naquela olhada inocente no Instagram.

Quando percebe, já se passaram horas e você está ali, quase que hipnotizado assistindo aos stories de pessoas que nem conhece.

E pior, sem nem se dar conta de como chegou até aquele perfil.

É difícil, mas imponha limites pra você mesmo.

Leia também: Joy of Missing Out, a alegria de viver uma vida mais offline

Em casa, tente utilizar menos seu smartphone, retome aquele leitura gostosa, esquecida na estante.

Relaxe e, por favor, as mensagens do trabalho devem esperar o dia seguinte.

Como desacelerar na prática: esteja presente, viva o presente

Nada mais prazeroso hoje em dia do que viver o máximo possível de cada momento.

Uma conversa em que você se dá a oportunidade de estabelecer uma conexão genuína com o outro, um café tomado com calma, sentindo cada nota, observando a fumaça que exala graciosamente da xícara ou até mesmo aquele momento em que você não está bem e assume, sem peso na consciência, que está tudo bem ainda que tudo pareça fora do lugar.

como desacelerar

Você pode começar ressignificando momentos simples como esses que eu citei acima. Pouco a pouco vai sentir que tem as rédeas de sua vida e ela vai ganhando uma nova dimensão.

Afinal, o que é desacelerar?

Enfim, encontrar momentos de pausa e prazer no dia a dia não é só uma questão de desacelerar, mas de encontrar o seu tempo interno para fazer as tarefas mais variadas.

Desacelerar não significa ter de se mudar para uma praia deserta e viver meditando durantes horas a fio. Desacelerar é se dedicar a descobrir qual é o seu ritmo das coisas, é um exercício de aprendizado e autoconhecimento contínuo.

Boa sorte!

Deixe um comentário

Skip to content