Entenda os reais benefícios do consumo de alimentos orgânicos – na saúde do seu corpo e mente, para o meio ambiente e o planeta e também para a economia.

Com mais de 200 tipos de agrotóxicos registrados para utilização no Brasil somente este ano, acende um alerta sobre a importância de incluirmos cada vez mais os orgânicos na nossa alimentação. Atualmente, a estimativa é de que o país consuma cerca de 20% dos agrotóxicos comercializados mundialmente*. 

E quais os perigos do consumo de agrotóxicos por meio dos alimentos para a nossa saúde? Muitos! Segundo a Dra. Karin Paciulo, nutricionista funcional e fundadora da 2Marias Saudável e Orgânico, no Brasil pode-se usar uma quantidade absurda de antibióticos e pesticidas dos mais variados tipos que, inclusive, já não são mais aceitos na Europa por muito tempo.

“Já é comprovado que os agrotóxicos causam câncer tanto nas pessoas que consomem quanto naquelas que trabalham nas plantações. Além disso, essas substâncias alteram a nossa produção hormonal, podendo afetar, por exemplo, a tireoide e até a fertilidade”, alerta a nutricionista.

Mas o que é um produto orgânico? Como são produzidos os alimentos orgânicos? Quais são as vantagens e as desvantagens do cultivo de alimentos orgânicos?

Neste post, você vai descobrir que os benefícios do cultivo e do consumo de alimentos orgânicos vai muito além do que se imagina. 

Quais são os benefícios da prática da agricultura orgânica para a saúde?

alimentos orgânicos

O que são, afinal, alimentos orgânicos? Dra. Karin explica que na agricultura orgânica a plantação é realizada sem nenhum tipo de aditivo químico (pesticidas, agrotóxicos, adubos químicos, conservantes). Somente é permitido o uso de produtos de origem natural e vegetal. 

A produção é feita de maneira bem consciente para que, além dos alimentos, a água utilizada para o plantio também não seja contaminada por nenhum tipo de substância química, ou seja, existe todo um critério de controle e avaliação para que os alimentos não tenham contato com produtos químicos.

E o mesmo cuidado vale para as carnes orgânicas. Os animais são criados livremente, consomem rações orgânicas, não podem receber antibioticoterapia e nenhum tipo de indutor de crescimento.

“Todo esse processo é benéfico para o nosso organismo, pois ao optar pelos orgânicos, ficamos livres de resíduos de antibióticos e agrotóxicos e, ainda, temos a vantagem de consumir um alimento muito mais rico em nutrientes, mais saboroso, do jeito que a natureza nos oferece. Um alimento limpo, com melhor qualidade e garantindo a preservação da nossa saúde”, salienta Dra. Karin.

Alimentos orgânicos: vantagens para o planeta e para a economia

De acordo com a nutricionista, pelo fato dos alimentos orgânicos serem cultivados livres de componentes químicos, essa produção acaba sendo mais sustentável já que respeita o solo, a água (fazendo o reuso da água da chuva em muitos casos) e a preservação da fauna e da flora que também são prejudicadas pela utilização dos agrotóxicos. 

“A agricultura orgânica possibilita muitas vantagens quando falamos na preservação do meio ambiente, mas também para a economia. Ao trabalhar de forma mais artesanal, é possível empregar mais pessoas. Por exemplo: para acabar com uma praga, é necessário muito mais colaboradores para realizar a extração e cuidar do plantio.

Além disso, conseguimos manter mais brasileiros longe dos agrotóxicos, pois ao lidar diretamente com essas substâncias, existe um maior risco de prejudicar a saúde. Ao consumir orgânicos, estamos ajudando indiretamente famílias de pequenos produtores (geralmente não são de grande escala).

E, ao fomentar esse mercado, com certeza ele irá crescer para conseguir atender uma maior demanda”, afirma a nutricionista.

Agricultura orgânica e o empreendedorismo

alimentos orgânicos

Fundadora da 2Marias Saudável e Orgânico, Dra. Karin é formada em nutrição há mais de 16 anos, atendendo (até hoje) em consultório, e sempre foi consumidora de alimentos orgânicos, principalmente depois do nascimento das suas filhas que, inclusive, dão o nome à marca. 

Após ganhar a segunda bebê, a nutricionista decidiu investir no mercado de orgânicos pela dificuldade em encontrar esse tipo de alimento para consumo próprio, mas também para preparar as comidas das crianças.

Assim, criou uma linha de papinhas orgânicas para bebês. Porém, com cinco anos de empresa, percebeu que existia uma grande oportunidade para trabalhar com um público mais adulto e mais consciente com relação à alimentação orgânica e saudável e resolveu partir direto com o consumidor final com produtos que atendam as necessidades de quem não tem tempo para cozinhar, mas que deseja consumir alimentos orgânicos e saudáveis, criando a 2Marias. Hoje, a marca conta cinco lojas franqueadas.

Por conta da sua história, Dra. Karin acredita que o mercado de orgânicos no Brasil é uma ótima opção para quem quer empreender já que está em evolução (a categoria de orgânicos cresceu 9,5% nos últimos 5 anos, maior crescimento entre os setores do segmento*), apesar de ainda ser pequeno em comparação a países que já têm uma maior consciência e cultura para o consumo de alimentos orgânicos. 

“Hoje temos muitas pessoas falando sobre os alimentos orgânicos, especialmente agora com as inúmeras aprovações de agrotóxicos no Brasil. A população está se conscientizando cada vez mais sobre os malefícios dessas substâncias para a saúde. Resolvi empreender nesse mercado porque é algo que realmente acredito, não só pensando como empresária e/ou na questão financeira, mas principalmente ao trabalhar com um propósito que é levar a alimentação saudável e orgânica para o maior número de pessoas possível e conseguir, por meio da minha empresa, democratizar a alimentação orgânica que ainda é para poucos, infelizmente”, finaliza.

*Fonte: 2Marias Saudável e Orgânico.

Deixe um comentário

Skip to content